Você está aqui: Home Mabe Cronologia

Cronologia Histórica

Década de 70

Os anos 70 são turbulentos com sucessivas crises econômicas geradas por instabilidades nos preços do petróleo. No arranjo político-econômico surge um novo e decisivo componente, as grandes corporações empresariais com a prevalência de um modelo de negócios transnacionais fundamentado na exploração intensiva de vantagens competitivas em operações de escala mundial. Marcas de produtos ganham status de bens culturais, o mundo se transforma num grande mercado consumidor integrado pelo comércio e a comunicação. A discoteca é símbolo supremo do período, o templo de luzes e músicas evocativas de sucesso onde o narcisismo mais delirante é cultivado, a beleza do corpo ganha grande importância e soberania, veículo de sensações de prazer e bem-estar. A década chega ao fim com um forte estímulo de culto ao corpo associado à prática esportiva que se espalhou pelo planeta. Outros planetas e viagens intergalácticas fizeram sucesso nas telas de cinema, TV e HQ. A arte na qual a arte se expressa por meio de carimbos, postais, vídeos, holografias, fax e colagens.

 

 

 

Ano

Fatos ocorridos na vida do artista

Fatos ocorridos no Brasil e no mundo

 

 

 

1970
46 anos

Realiza a primeira individual na Japão, na Takashimaya Art Gallery, Tóquio e outras, em Houston e Nova Iorque.

Participa de coletivas no Rio de Janeiro e em Milão.

Brasil conquista o tri-campeonato na Copa do Mundo do México.

1971
47 anos

 

Realiza individuais em São Paulo e Rio de Janeiro e participa da 11ª Bienal de São Paulo.

Participa de coletivas no Rio de Janeiro e em Milão.

Surge, a terceira geração de microcomputadores, do tamanho de um aparelho de televisão. Junto com eles, o microprocessador, que permitiu a redução do tamanho e do preço dos computadores, abrindo caminho para os aparelhos de quarta geração que passaram a comandar o cotidiano das pessoas, dos caixas eletrônicos aos semáforos nas ruas.

1972
48 anos

Falece a Mãe Haru.

Inaugura exposição em homenagem aos 150 anos de Independência do Brasil na sede da empresa Yakult, em Tóquio, Japão.

Expõe em coletiva na III Bienal de Arte Cólteger, em Medelín, Colômbia.

Funda o Museu de Arte Moderna Japão-Brasil e inaugura exposição retrospectiva no MASP, em São Paulo.

 

1973
49 anos

Individual em Tóquio, Japão.

Participa de coletivas em São Paulo, Tóquio e Quioto e da 12ª Bienal de São Paulo.

 

1974
50 anos

Realiza exposição na A Galeria, em São Paulo.

 

1975
51 anos

Participa da 13ª Bienal de São Paulo.

Realiza exposição retrospectiva no Museu de Arte de São Paulo/Masp.

É criada a Fundação Nacional da Arte/Funarte, ligada ao Ministério da Educação e Cultura, tem a função de centralizar e estimular as atividades na área artística, promover o ensino das artes e administrar acervos vinculados ao MEC.

1976
52 anos

Realiza exposição individual em Londres.

Duas empresas japonesas concorrentes lançam o videocassete, revolucionando e ampliando as possibilidades do entretenimento doméstico.

1977
53 anos

Realiza exposição individual na Galeria de Arte André.

Participa da 14ª Bienal de São Paulo e de coletivas em Madrid e San Salvador.

 

1978
54 anos

Realiza exposição retrospectiva no Kumamoto Museum of Art, no Kamakura Museum of Art e no National Museum of Art, em Osaka, Japão.

 

Nasce o primeiro bebê de proveta, método de fertilização in vitro que se consolida com a chegada de Louise.

1979
55 anos

Participa de coletivas no Museu de Arte Moderna/MAM de São Paulo e em Curitiba.

 

   

Década de 80

O acirramento entre capitalismo e comunismo recrudesce, a queda do muro de Berlim reforça este significado. Porém, não se trata de um entendimento, mas da derrocada do comunismo que não conseguiu construir a utopia de uma sociedade igualitária, sem castas privilegiadas nem indivíduos excluídos. O culto ao corpo alcança proporções desconhecidas até então, as academias de ginástica lotam e a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida aterroriza homens, mulheres e homossexuais de todas as idades no mundo inteiro. Os homens exibem altos topetes à custa de muito gel, e as mulheres carregam no blush para dar às bochechas o visual de vivacidade requerido pela geração saúde. Nos anos 80 há um jogo do pós-moderno acentuando outros aspectos que dizem respeito a valores subjetivos. A pintura é a encarregada de explorar as sensibilidades remanescentes da sociedade na era da globalização que se avizinha e revela que as vanguardas não esgotaram a criatividade das formas tradicionais da arte. O fim da idade industrial é também o início da idade da informação que populariza os computadores pessoais, walkmans e videocassetes.

 

Ano

Fatos ocorridos na vida do artista

Fatos ocorridos no Brasil e no mundo

 

 

 

1980
56 anos

Pinta o painel do Pan-American Union, Washington, Estados Unidos.
Ilustra o Livro dos haicais, tradução de Olga Salvary, edição de Massao Ohno e Roswitha Kempf.

Realiza exposições individuais no Museum of Modern Art of Latin American, Washington, em Miami e no Rio de Janeiro.

Amadurece o Mercado de microcomputadores com o lançamento do PC, personal computer da IBM.

1981
57 anos

Participa da Feira Internacional de Arte Contemporânea/FIAC 81, na França e expõe no Museu de arte Nacional de Osaka, Japão.

Artistas plásticos encontram nova expressão na surpreendente arte incomum, nome dado aos desenhos de esquizofrênicos e outros doentes mentais que a 16ª Bienal de São Paulo mostra ao público.

1982
58 anos

Elabora ‘pano de boca’, a cortina de fundo, de 9 x 18 m, do Teatro Provincial de Kumamoto, no Centro Cultural de Kumamoto.

Realiza exposições individuais na Flórida e em Nova Iorque.  

Participa da Feira Internacional de Arte Contemporânea/FIAC 82, em Paris.

 

1983
60 anos

Realiza individuais no Brasil, Estados Unidos e Panamá.

 

1984
60 anos

Realiza individual na realidade Galeria de Arte, no Rio de Janeiro e expõe em coletivas na França, Espanha, Suécia e Brasil.

Participa da Feira Internacional de Arte Contemporânea/FIAC 84, em Paris.

 

1985
61 anos

Participa do ICAF 85, no Barbican Centre, em Londres.

A restauração dos afrescos de Michelangelo na capela Sistina, em Roma, gera polêmica quanto ao resultado final e sua fidelidade ao original.

1986
62 anos

Realiza mostra retrospectiva e lança seu primeiro livro Vida e obra de Manabu Mabe, no Masp/SP.

Participa da Feira de Arte Contemporânea/ARCO 86, em Madrid.

 

1987
63 anos

Participa da Feira Internacional de Arte Contemporânea/FIAC 87, em Paris.

Uma loja japonesa comprou O acrobata e o jovem arlequim, de Pablo Picasso, pela soma recorde de 38 milhões de dólares.

O quadro Íris, de Vicent Van Gogh, pintado num hospício, foi arrematado em Nova Iorque por 53,9 milhões de dólares.

1988
64 anos

Realiza exposição individual no Espaço Latino-America, em Paris e no Yutaka Sanematsu Escritório de Arte, em São Paulo.

Participa do MUBA, na Suíça e da Feira Internacional de Arte Contemporânea/FIAC 88, em Paris.

O Japão se despede do imperador Hirohito, o 124º monarca, aos 87 anos.

A criação da nova Constituição Brasileira enseja mudanças radicais nos rumos políticos do país.

1989
65 anos

Realiza exposição individual na Kouros Gallery, em Nova Iorque, Estados Unidos.

Participa da Feira de Arte Contemporânea/ARCO 89, em Madrid.

 

   

Década de 90

A superestrada da informação faz surgir o fenômeno da globalização. A convergência dos meios de comunicação num único ambiente digital traz o mundo para dentro da casa das pessoas. O mapa geopolítico se altera com a divisão das ex-repúblicas soviéticas, outros conflitos armados eclodem no Oriente Médio e na Ásia. A sombra ameaçadora agora é o terrorismo, um inimigo sem face nem pátria. A queda do custo do computador pessoal e da tecnologia provoca um crescimento explosivo da internet, do comércio eletrônico e da telefonia celular, aumentando a produtividade econômica. A cultura jovem se diversifica em ramificações, tribos de um universo social diverso que vai desde o superficialismo e o consumismo até a militância ambientalista e antiglobalizante. A expressão nas roupas e por meio de tatuagens e piercings também são características marcantes de uma cultura efêmera, fugaz, padronizada como a música eletrônica com sua batida persistente e repetitiva. Os anos 90 terminam com um sinal de alerta planetário emitido a partir do desequilíbrio climático provocado pela poluição e o aquecimento global. A ciência polemiza a opinião mundial com a clonagem, alimentos transgênicos e o projeto genoma humano.

 

Ano Fatos ocorridos na vida do artista Fatos ocorridos no Brasil e no mundo

1990
66 anos

Realiza individual em Brasília e em Paris.

Participa de coletiva em Nova Iorque.

Akihito assume o trono como o 125º soberano japonês, o primeiro a se tornar imperador sob a constituição pós-guerra do Japão.

1991
67 anos

Realiza exposição individual em Paris, Osaka e Nagoya.

Participa de coletiva no Grand Palais, em Paris.

1992
68 anos

Realiza exposição individual no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, e em Kumamoto, em Tóquio.

Participa do 3º Grande leilão brasileiro da gravura, na Novotempo Galeria, em Belo Horizonte.

1993
69 anos

Entrega ao proprietário a última das obras em substituição às que se perderam no desaparecimento do avião, em 1979.

Participa de duas coletivas em São Paulo, uma no Museu de Arte Brasileira/MAB e outra no prédio da Bienal de São Paulo.

Em cerimônia xintoísta o Palácio Imperial de Tóquio presenciou o casamento do príncipe herdeiro Naruhito e Masako Owada.

1994
70 anos

Lança o livro Chove no cafezal, uma autobiografia, em japonês.

Participa de coletivas em São Paulo, Rio de Janeiro e Tóquio.

Acontece em São Paulo a mais polêmica revisão da arte brasileira dos últimos anos: A Bienal Brasil Século 20. A maior mostra de arte brasileira já realizada conta com 921 obras de 240 artistas e está dividida em cinco segmentos: pré-modernos (1899-1921), modernos (1922-1945), abstratos (1946-1960), anos 60 e 70 e de 1980 a 1993.

A seleção brasileira de futebol conquista seu quarto título mundial, nos Estados Unidos.

1995
71 anos

Realiza individual na Galeria André, em São Paulo.

Participa de coletivas em São Paulo e Curitiba.

Cria uma escultura especialmente encomendada para a inauguração da casa do Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade de Curitiba, que homenageia o centenário das relações diplomáticas entre Brasil e Japão. A obra, de aproximadamente 50 cm de altura, representa o planeta Terra, unido por uma faixa de luz

O público brasileiro tem o privilégio de contemplar, pela primeira vez, as esculturas de Auguste Rodin, em mostras abertas no Rio de Janeiro e em São Paulo.

1996
72 anos

Sofre intervenção cirúrgica para um transplante de rim.

Realiza individual no Espaço Infraero de Brasília e exposição individual itinerante iniciada no Museu de Arte Kumamoto no Japão.

Participa de coletivas em São Paulo e São Paulo e São José dos Campos.

A 23ª Bienal de São Paulo é inaugurada com o tema A desmaterialização da arte no final do milênio.  A mostra reservou uma sala especial dedicada ao pintor espanhol Pablo Picasso, com 34 pinturas a óleo, 13 desenhos e uma tapeçaria. Outra atração foi o conjunto de obras de Goya, gênio espanhol do século XVIII.

1997
73 anos

Acompanha exposição individual itinerante pelos museus de Gifu, Nigata, Hiroshima e Tóquio, no Japão.

Participa de coletivas em São Paulo e Montevidéu.

Elabora mural de 20m2 na Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande, na Baía de Santos, em São Paulo. Executado pelo atelier Sarasá, o mosaico Vento Vermelho foi a última obrado artista.

As artes plásticas se despedem de Manabu Mabe.

A família Mabe cria o Instituto Manabu Mabe.

 

 

O artista deixa um legado de cores, sensibilidade e alegria.

1998
73 anos

Coletiva
São Paulo: visão dos nipo-brasileiros do Museu Lasar Segall/MLS em São Paulo/SP.

 

1999
73 anos
   
   

Década de 2000

A primeira década do século XXI, o primeiro do terceiro milênio, é marcada pela guerra ao terrorismo, conflito sem bandeiras nem trincheiras, misturando interesses econômicos, políticos e religiosos que fundamenta um estado de permanente paranóia mundial, provocando o recrudescimento da violência contra minorias étnicas em vários países. A economia mundial passa pelo seu maior período de prosperidade e estabilidade até o final do ano de 2007, quando é desencadeada a crise do crédito hipotecário de alto risco colocando de joelhos vários países, principalmente os desenvolvidos. A internet se consolida como veículo de comunicação, a informação se democratiza, atingindo um nível sem precedentes. O mundo digital se expande de forma exponencial, o telefone celular se populariza, bem como novas operadoras de telefonia via web. O computador aumenta a produtividade, mas apesar de o mundo estar cada vez mais conectado por fibras óticas e internet de banda larga, alastram-se os sintomas da depressão e explode o consumo de drogas anti-histamínicas. Nas artes, a pós-modernidade continua se manifestando na medida em que novos suportes como o happening, a instalação, o vídeo, a "arte digital", entre outros, mantém-se na ordem do dia em Bienais e mostras internacionais.

 

Ano

Fatos ocorridos na vida do artista

Fatos ocorridos no Brasil e no mundo

 

 

Cientistas americanos e ingleses anunciam o primeiro rascunho da sequência completa do genoma humano.

2000
76 anos

 

 

2001
77 anos

Lançado no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, o livro Chove no cafezal, uma autobiografia de Manabu Mabe, em português, juntamente com exposição retrospectiva do artista.

Coletiva
Arte Nipo-Brasileira, Momentos no Euroart Castelli, em São Paulo.

 

2002
78 anos

Coletiva
Retrospectiva no Clube Paulistano em São Paulo.

É lançado o site do artista.

O Brasil conquista o pentacampeonato na Copa do Mundo do Japão e da Coréia.

2003
79 anos

 

 

2004
80 anos

Individual
Mostra inaugural do Espaço Cultural Vivo em São Paulo.

Coletiva
Mabe & Yugo, Espaço Cultural Vivo em São Paulo.

A obra Garçon à la pipe, de Pablo Picasso torna-se o quadro mais caro do mundo ao ser vendido por 104,1 milhões de dólares

2005
81 anos

Coletivas
Núcleo Aliança Brasil-Japão, Linha do Tempo, em Florianópolis.
100 anos da Pinacoteca, a formação de um acervo, em São Paulo.
Odorico Tavares, a minha casa baiana, sonhos e desejos de um colecionador, em São Paulo.

É iniciado o trabalho de reconversão do antigo Colégio Campos Salles para instalação do Museu Manabu Mabe.

 

2006
82 anos

Individuais
Mabe Gravuras, Centro Cultural do Solo Sagrado de Guarapiranga, Fundação Mokiti Okada, São Paulo/SP, Brasil

Coletivas
II Núcleo Aliança Brasil-Japão, em Florianópolis.
Núcleo Aliança Brasil-Japão, em Birigui, São Paulo.

É comemorado o Ano de Rembrandt, 400º aniversário do nascimento de Rembrandt, pintor holandês do século XVII.

2007
83 anos

Individuais
Tributo à Memória de Manabu Mabe, em Florianópolis.
Mabe 10 anos, Espírito da Arte, em São Paulo,
III Núcleo Aliança Brasil & Japão, em Florianópolis.
Caminhos, Gravados, Marcados, em São Paulo.

 

2008
84 anos

Individuais
Gravuras de Manabu Mabe, Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, Fortaleza de Santo Amaro, Guarujá/SP, Brasil

Coletivas
Bandeira branca na terra roxa, em Brasília.
IV Núcleo Aliança Brasil-Japão, em Florianópolis.
Abraços na Arte Brasil-Japão, em, Salvador.
Do Ukiyo-ê ao Mangá, em São Paulo.
Presença japonesa na arte brasileira: da figuração à abstração, São Paulo.

Ano Internacional do Planeta Terra visa conscientizar a sociedade sobre a importância do bem-estar comum para um mundo sustentável.

A 28ª Bienal de Arte de São Paulo, enfrentando grave crise financeira, causa polêmica, sofre a ação de pichadores e é rotulada de Bienal do vazio por apresentar o segundo andar do prédio totalmente desocupado.

2009
85 anos

Coletivas
Mabe & Wakabayashi, Joh Mabe Espaço de Arte e Cultura, São Paulo/SP, Brasil
Brasil, terra de contrastes, Museu Afro Brasil, São Paulo/SP, Brasil

 

2010
86 anos

Estréia o espetáculo Mabe Ma, com raízes no butoh, baseado na obra de Manabu e nas impressões que o coreógrafo japonês Tadashi Endo teve de sua personalidade a partir de informações transmitidas pela família.

A abertura da 29ª Bienal de Arte de São Paulo, focada no conceito de que é impossível separar a arte da política, volta a ser marcada pela polêmica e traz para a mostra a presença dos pichadores que atacaram suas paredes em 2008.