Você está aqui: Home Mabe Cronologia

Cronologia Histórica

Década de 30

Após uma década de euforia, a alegria dos anos loucos chega ao fim com a depressão econômica que se seguiu à quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque. Milionários ficaram pobres de um dia para o outro, bancos e empresas faliram e cerca de 4,8 milhões de pessoas perderam seus empregos. Artistas do grupo Abstração e Criação se baseiam nos conceitos da pintura abstrata, como Fernand Léger, Piet Mondrian e Vassíli Kandinski, seus trabalhos são vistos em prestigiadas galerias da França e da Alemanha. O surrealista Salvador Dalí expõe seu trabalho em Nova Iorque, antecipando-se à primeira exposição internacional de arte surrealista de 1938, em Paris. A sombra da guerra se avizinha com o crescimento do nazismo e do fascismo. A moda descobriu o esporte, a vida ao ar livre e os banhos de sol. O cinema passou a disseminar os novos costumes com a ajuda de Katharine Hepburn, Marlene Dietrich e Greta Garbo. Óculos escuros estavam em alta entre os artistas de cinema e os astros da música assim como o design de marcas e produtos. Novos materiais, maleáveis e plásticos, somados aos conceitos de modernidade e aerodinâmica, eram aplicados ao design de objetos. 

 

Ano

Fatos ocorridos na vida do artista

Fatos ocorridos no Brasil e no mundo

 

 

 

1931
06 anos

Matricula-se na escola primária de Shiranui.

A Europa, agarrada à paz a qualquer preço, observa em transe o expansionismo nazista. A América, enredada em sua própria crise econômica, mal recuperada da depressão e da quebra da bolsa de valores, assiste impotente a nuvem negra da guerra se avolumar no horizonte.

1932
07 anos

Transfere-se para a escola de Touno.

 

1934
10 anos

Transfere-se para a escola de Toyokawa.

No dia 18 de agosto, embarca com a família no navio La Plata Maru, rumo ao Brasil, desembarcando em 02 de outubro no Porto de Santos e seguindo para uma fazenda em Birigui, São Paulo. A família, então, era composta por cinco filhos, Manabu, Satoru, Michiko e Hitoko.

A família de Yoshino, que viria a ser sua esposa em 1951, embarca no mesmo navio, partindo de Niigata.

Hitler recebe em plebiscito a presidência da Alemanha.

1935
11 anos

 

O Seibi (Seibikai), Grupo de Artistas Plásticos de São Paulo, reúne artistas japoneses interessados em criar um espaço de discussão que promova o aprimoramento técnico e a divulgação de suas obras.

1937
13 anos

Muda-se para a cidade de Guararapes, São Paulo/SP.

Pablo Picasso pinta o mural Guernica, de 3,50 x 7,82 m, que retrata o desespero dos habitantes da cidade espanhola ao serem surpreendidos por um bombardeio da Força Aérea Alemã. O mais selvagem e incessante ataque na história da guerra aérea aconteceu em abril e durou quase quatro horas.

1939
15 anos

Muda-se para a cidade de Lins, São Paulo/SP.

 

   

Década de 20

Teatros e óperas lotados, cinematógrafos exibindo os filmes de Hollywood e mulheres livres de espartilhos, graças à estilista Coco Chanel, dançam vigorosamente o Charleston. George Gershwin hipnotiza o público; a literatura de James Joyce e Scott Fitzgerald divide a cena com as grandes inovações tecnológicas — eletricidade, rádio, cinema falado, modernização das fábricas. Charles Lindbergh cruza o Atlântico sozinho num avião. A escola Bauhaus abre suas portas, o art decó faz a arte construtivista ganhar espaço. Picasso, Miró e os surrealistas mostram suas obras e a Semana de 22, criada por intelectuais paulistanos, reúne artistas plásticos, escritores, arquitetos, compositores e intérpretes. Uma década de prosperidade e liberdade que começou embalada pela Era do Jazz termina com a histórica quebra da Bolsa de Nova Iorque.

 

Ano

Fatos ocorridos na vida do artista

Fatos ocorridos no Brasil e no mundo

 

 

 

1924

Nasce como primogênito de Soichi Mabe, em 14 de setembro, na aldeia de Shiranui, Província de Kumamoto, atualmente cidade de Shiranui. A família Mabe era tradicional dona de hospedaria destinada às pessoas que vinham de navio das localidades de Shimabara e Misumi. O pai trabalhava inicialmente como ferroviário e posteriormente como barbeiro. A mãe, Haru, era oriunda de uma tradicional família de agricultores.

O poeta francês André Breton lança, em outubro, o Manifesto do Surrealismo, marcando historicamente o nascimento do movimento que propunha a restauração dos sentimentos humanos e do instinto como ponto de partida para uma nova linguagem artística

1928
04 anos

 

Hirohito recebe, aos 27 anos, a coroa do Japão prometendo melhorar a condição moral e material de seus amados súditos e trabalhar pela paz mundial.

   

Década de 40

Uma década marcada pelo horror e a morte. A Segunda Guerra Mundial é total, não há campos de batalha definidos, o conflito armado acontece em terra, mar, ar e em cidades e vilas com civis no fogo cruzado dos exércitos mecanizados. A Europa praticamente é devastada. Os aliados vencem o nazismo provocando um reordenamento geopolítico, o mundo é dividido em dois, o Ocidente capitalista e o Oriente comunista. Carmem Miranda é o Brasil que faz sucesso. Nas telas do mundo estreia a obra emblemática do cinema, Cidadão Kane, de Orson Wells. E a década termina com uma novidade de encher os olhos, a invenção do sistema de transmissão de televisão colorida.

 

Ano

Fatos ocorridos na vida do artista

Fatos ocorridos no Brasil e no mundo

 

 

 

1942
18 anos

Pensa em realmente tornar-se pintor.

A entrada do Brasil na Segunda Guerra Mundial, ao lado dos Aliados, limita as atividades da colônia japonesa no País, impedindo a reunião dos artistas e provocando a dispersão do Grupo Seibi.

1945
21 anos

Inicia-se na pintura a óleo e faz suas primeiras cópias das obras Foz do Iguaçu e Terra Natal, do pintor, desenhista e ilustrador carioca Antônio Parreiras.

Os soviéticos libertam o campo de concentração de Auschwitz e aproximam-se de Berlim, a guerra está chegando ao fim. Hitler, o ditador nazista, se suicida, Mussolini, o ditador italiano ,é fuzilado. Um novo organismo para a paz é fundado, a carta das Nações Unidas é assinada por 51 países, o Brasil entre eles, formalizando assim a criação de um órgão internacional para garantir a paz mundial e incentivar a cooperação entre as nações.

1947
23 anos

Visita pela primeira vez a cidade de São Paulo e conhece o artista plástico Tomoo Handa, um dos fundadores do Grupo Seibi.

São reiniciadas as atividades do Grupo Seibi em ateliê coletivo, com o ingresso de novos artistas.

1948
24 anos

Compra um sítio de café.
Conhece o Grupo 15 e se encontra com o Sr. Yoshiya Takaoka, outro fundador do Grupo Seibi, em São Paulo.

 

1949
25 anos

Falece o pai, Soichi Mabe.

A Companhia Vera Cruz, a maior produtora de cinema já montada no país, inicia suas atividades.

   

Década de 50

A reconstrução da Europa traz euforia, prosperidade, um novo arranjo geopolítico e a paz. Em época de revoluções tecnológicas e comportamentais, o automóvel se transforma em símbolo de status, luxo e bem-estar, o consumo agora é de massa e todos os sonhos parecem possíveis, até mesmo a conquista do espaço sideral. O cinema vive sua idade de ouro e o filme Cantando na chuva alude aos novos tempos de esperança. O artista norte-americano Jackson Pollock pinta Autumn rhythm com as técnicas do expressionismo abstrato. Nesta década de grandes realizações, é criado o primeiro cérebro eletrônico, projetado especificamente para o uso nos negócios. A indústria japonesa lança o rádio portátil transistorizado produzido em massa. O livro On the road, de Jack Kerouac, faz sucesso e marca a chegada da geração beat, um modo de viver sem compromisso com valores mundanos. A seleção brasileira de futebol conquista seu primeiro título mundial. Divas e pin-ups disputam os olhares do mundo — Grace Kelly, Audrey Hepburn, Rita Hayworth, Ava Gardner, Marilyn Monroe e Brigitte Bardot — enquanto as belas e bem cuidadas donas-de-casa veem surgir modernos aparelhos eletrodomésticos, os cosméticos, as revistas de moda e a alta-costura.

 

Ano

Fatos ocorridos na vida do artista

Fatos ocorridos no Brasil e no mundo

 

 

 

1950
26 anos

Participa da exposição do Salão Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro e é, pela primeira vez, classificado.

É formado o Grupo Guanabara, cujos membros, na maioria imigrantes italianos e japoneses ou seus descendentes, são artistas que pertencem ao Grupo Seibi e ao Grupo 15. Entre seus fundadores estão Alzira Pecorari, Armando Pecorari, Arcangelo Ianelli, Marjô, Takeshi Suzuki, Tikashi Fukushima, Tomoo Handa, Yoshiya Takaoka e Tamaki.

1951
27 anos

Casa-se com a Sra. Yoshino.
Conhece o Rio de Janeiro.

Participa do I Salão Paulista de Arte Moderna e Salão Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro, recebendo medalha de ouro no 1º Salão Linense de Artes Plásticas.

São Paulo abre a primeira Bienal de Arte com a presença de 21 países.

Aos 81 anos, Henri Matisse, mestre da cor e da forma, ganha a Bienal de Veneza.

1952
28 anos

Nascem seus filhos gêmeos Joh e Ken.

Recebe o prêmio Grande Medalha de Prata no 1º Salão Seibi e o de menção honrosa no 47º Salão Paulista de Belas Artes.

É criado o Salão do Grupo Seibi com o objetivo de ampliar o espaço de projeção dos artistas nipo-brasileiros no meio artístico nacional. Além do Salão, outro desdobramento importante foi a formação de associações, como o Grupo 15 e o Grupo Guanabara, surgidos em decorrência da atuação dos artistas do Seibi.

1953
29 anos

É selecionado para a 2ª Bienal de São Paulo.
Recebe a Grande Medalha de Ouro — o prêmio Colônia — no 2º Salão Seibi e o de aquisição, no Salão Nacional de Arte Moderna, no Rio de Janeiro.

Esboça tendências abstracionistas.

São Paulo abre sua segunda Bienal de Arte, considerada uma das três mais importantes mostras de Arte Moderna do mundo, com quatro mil obras expostas. A tela Guernica, de Picasso, inaugura o novo espaço projetado especialmente para a mostra, no Parque Ibirapuera.

1955
31 anos

Nasce o terceiro filho, Yugo.

Pinta sua primeira obra abstrata, Vibração momentânea e expõe na 3ª Bienal de São Paulo e no IV Salão Paulista de Arte Moderna.

 

1956
32 anos

Recebe o prêmio Pequena Medalha de Prata no V Salão Paulista de Arte Moderna.

O Brasil tem um novo presidente. Juscelino Kubitschek esboça seu plano desenvolvimentista no primeiro dia de mandato: “50 anos em cinco”.

1957
33 anos

Realiza a exposição de despedida no Clube Linense e muda-se para São Paulo.

Recebe o prêmio Pequena Medalha de Ouro no VI Salão Paulista de Arte Moderna.

Começa a ser construída a nova capital federal no planalto central. Brasília é erguida em tempo recorde, uma façanha simbólica, mítica, uma aposta no futuro próspero do Brasil.

 

 

 

1958
34 anos

Recebe os prêmios Grande Medalha de Ouro no VII Salão Paulista de Arte Moderna e o de Isenção do Júri no Salão Nacional de Belas Artes.

 

1959
35 anos

Realiza exposição individual na Galeria Barcinsk, no Rio de Janeiro e participa de coletiva no Museu de Arte Moderna de Paris.

Recebe os prêmios Leirner, no 1º Salão de Arte Contemporânea; Governador do Estado, no VIII Salão Paulista de Arte Moderna; Melhor Pintor Nacional, na 5ª Bienal de São Paulo; Bolsa de Estudos e o prêmio Braun na I Bienal de Artistas Jovens de Paris, e o de Aquisição na exposição dos Artistas Sul-Americano no Museum of Fine Arts, em Dallas.

A revista Time publica a matéria intitulada The Year of Mabe, apresentando o pintor que recebeu o maior número de prêmios naquele ano.

   

Década de 60

Os anos 60 dão início à era da mídia, da comunicação de massa, da voracidade por imagens e ídolos que arrebatam multidões. A arte, a música, o esporte e a moda são pop, a produção é realizada em grandes fornadas para ser engolida inteira por milhares de vorazes consumidores, como as Latas de sopa Campbell, de Andy Warhol e as obras reticuladas de Roy Lichetenstein. A opinião pública ganha importância, a divisão entre capitalismo e comunismo se acirra. A este conflito surdo, de corrida tecnológica e armamentista em tempos de paz, se chamou Guerra Fria. Os anos 60 mostram um vigor esfuziante e uma explosão de juventude em vários aspectos. O jovem se opõe à sociedade de consumo vigente. A moda unissex ganha força com os jeans e as t-shirts de algodão com estampas que expressam um novo modo de ser e de pensar, tal como empunhar uma bandeira, assumir uma causa e tornar isso público vestindo uma camiseta. A contracultura e o pacifismo estão em alta, assim como a minissaia, o rock and roll, Elvis Presley, Londres, Marilyn Monroe, Twiggy e Os Beatles. No Brasil, a Jovem Guarda traz o cabelo na testa e o tom da rebeldia enquanto Os Mutantes falam da contracultura e de viagens psicodélicas. O movimento hippie prega paz e amor e o poder da flor, flower power, do negro, black power e do homossexual, gay power. Natalie Wood, Audrey Hepburn, Joan Baez, Catherine Deneuve, Brigitte Bardot, Wanderléa e Rita Lee representam diferentes faces e estilos de uma nova atitude.
A moda kitsch, retrô e pop foi para a rua no movimento estudantil de 68 e nas passeatas contra a ditadura militar no Brasil. A pílula anticoncepcional surgiu na vida das mulheres que queriam liberdade sexual, igualdade de direitos, salários e decisão. O homem caminhou na Lua e a década terminou com a reunião de 500 mil pessoas, ao ar livre, em três dias de muito amor, música, sexo e drogas no Festival de Música e Arte Woodstock, realizado na cidade de Bethel.

 

Ano

Fatos ocorridos na vida do artista

Fatos ocorridos no Brasil e no mundo

 

 

 

1960
36 anos

Naturaliza-se brasileiro.

Recebe o Prêmio Fiat na 30ª Bienal de Veneza.
Neste ano, viaja ao exterior pela primeira vez ao estrear uma mostra individual fora do Brasil, a do Museu Nacional de Belas Artes de Montevidéu, e faz sua primeira visita aos Estados Unidos.

Expõe na Galeria Sistina, em São Paulo e no Museu de Arte do Rio Janeiro.

Ilustra os livros Kappa, de Ryunosuke Akutagawa, e Estrela descalça, da Coleção dos Novíssimos, de Lilia Pereira da Silva.

Inaugurada em abril, a capital da esperança apresenta ao Brasil uma cidade planejada pelo arquiteto Lúcio Costa em forma de um avião, em que os edifícios públicos, a maioria projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer, formam a fuselagem e os complexos residenciais, as asas.

1961
37 anos

Realiza mostras individuais no Brasil, Uruguai, Argentina, França, Itália e Estados Unidos e de coletivas em Boston e Washington.

 

 

1962
38 anos

Recebe o primeiro prêmio na 1ª Bienal Americana de Arte, em Córdoba, e expõe em várias coletivas de galerias e museus americanos.

Realiza mostras individuais nos Estados Unidos, Itália e França.

Executa suas primeiras tapeçarias.

Enquanto os expressionistas abstratos imprimem suas almas sobre a tela, artistas pop como Roy Lichetenstein, Claes Oldenburg e Andy Warhol usam imagens da cultura de massa para enaltecer a frieza da vida moderna.

É realizada a Copa do Mundo de Futebol no Chile e o Brasil torna-se bi-campeão mundial.

1963
39 anos

Pinta, em São Paulo, painel de 4,75 x 2,87 m para o Banco Crédito Real de Minas Gerais.

Participa da 7ª Bienal de São Paulo, de mostra sobre pintura latino-americana no Peru e faz individual na Galeria Querino, em Salvador.

 

1964
40 anos

Pinta mural de 15 x 10 m, no IPEG, Rio de Janeiro.
Realiza individual em Roma, na Itália, e em Lima, no Peru.

Participa de coletiva do Grupo Seibi no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

O golpe militar atinge em cheio a liberdade de organização política e de expressão.

O trem-bala japonês, entre Tóquio e Osaka, é inaugurado.

1965
41 anos

Participa de coletivas no Brasil, Inglaterra, Áustria, Bolívia, Estados Unidos e Japão.

 

1966
42 anos

Participa da mostra O artista e a máquina — uma iniciativa da indústria de máquinas Olivetti que contou com a adesão de Volpi e vários artistas de renome nacional e internacional — com a obra Alvorada da Indústria, além de coletivas no Museu de Arte Contemporânea/MAC USP, em São Paulo, nos Estados Unidos e México.

 

1967
43 anos

Participa da 9ª Bienal de São Paulo.

Realiza individual no Museu de Arte de Belo Horizonte e Galeria Astréia de São Paulo.

Em 25 de junho acontece a primeira transmissão de televisão via satélite.

1968
44 anos

Concede entrevista à revista Veja — nº 1, 11/09/1968 — sobre seu incentivo aos novos artistas japoneses, sob o título Mabe já faz escola.

Expõe suas obras com outros quatro abstracionistas mais importantes do Brasil — Samson Flexor, Tikashi Fukushima, Kazuo Wakabayashi e Wega Nery — no Banco Nacional de Minas Gerais e realiza individuais no México e Estados Unidos.

É contratado pela Ford, com outros cinco pintores — Aldemir Martins, Di Cavalcanti, Djanira, Aldo Bonadei e Clóvis Graciano — para promover o Corcel de quatro portas e retratar a beleza das linhas de produção e montagem, unindo arte e indústria.

Como forma de protesto pelos altos custos dos materiais artísticos, participa de mostra coletiva de miniquadros com Aldemir Martins, Carlos Scliar, Milton da Costa, Wakabayashi, Frank Shaeffer, Fernando Coelho, Floriano Teixeira, Genaro de Carvalho e outros artistas de primeira linha.

Participa do International Art Festival, em Nova Iorque, Estados Unidos.

Os jornalistas Victor Civita e Mino Carta criam a Veja, revista semanal brasileira publicada pela Editora Abril.

É inaugurado o Masp/ Museu de Arte de São Paulo, em 7 de novembro.

 

Mabe entende que a Olivetti e a Ford abriram um novo campo: “Outras empresas deveriam segui-las e promover seus produtos através dos artistas”.

A década de rebeldia chega ao auge com a manifestação estudantil que exigia liberdade política, econômica, social e cultural.

1969
45 anos

Participa da 10ª Bienal de São Paulo e participa de diversas coletivas em São Paulo, Porto Alegre, Recife e Estados Unidos.

Realiza individuais em Brasil e em Portugal.